4 leis essenciais para um Gerente de Projetos


A carreira de gerente de projetos (GP) não é um mar de rosas como alguns profissionais de outros segmentos acreditam ser. Há desafios relacionados a comportamento, relacionamento, comunicação e publicação de resultados. O gerente de projetos é um papel estratégico para a organização e na relação entre cliente e empresa, pois será o responsável por representar a empresa junto ao cliente no bônus ou no ônus.


Profissionais que estão atuando neste papel precisam saber de 4 leis essenciais. Abaixo descritas por grau de importância, na opinião deste autor:


1 - Lei da Entrega

Assim como a posição de atacante no futebol vive de gols, o GP vive de entregas, ou seja, para o sponsor o indivíduo apenas gera valor e resultados quando realiza entregas de projetos, e principalmente aquelas que resultem em melhoria na relação com o cliente, compensações financeiras ou reduzam riscos de quebras contratuais. Não importa como a entrega será realizada, a questão é que ela precisa ser feita a todo custo, pois é ela servirá como credencial nas rodadas de avaliação com seu chefe ou líder. Por outro lado vale ressaltar que nem sempre apenas suas entregas são levadas em consideração, então verifique as próximas leis.


2 - Lei da Comunicação

Quando fala-se em comunicação como fator crítico de projetos não é uma referência exclusiva a relatórios, ou e-mails para o cliente, a estratégia de comunicação que será utilizada é essencial, e o gerente de projetos precisará mapear e diferenciar os canais e técnicas de comunicação para stakeholders específicos no projeto. Um gerente de projeto precisa ser tão completo ao ponto de conhecer qual o melhor método de comunicação de forma muito pessoal, entender que as pessoas possuem estilos diferentes, uns visuais, outros auditivos e aqueles que são cinestésicos, cada tipo prefere um estilo de comunicação. É importante identificar qual o estilo do seu "cliente"mais importante.


3 - Lei da Politicagem

Principalmente quando trabalha em organizações funcionais (aquelas em que usamos recursos de outras gerências) precisa ser muito político, não há saída, você precisa utilizar de artifícios os quais te trarão recursos sempre que precisar, tenha suas moedas de troca. Não importa o quanto legal você é ou quer ser, uma hora precisará fazer o papel do GP do mal, aquele que briga e aponta o dedo quando aquele teu colega não disponibiliza os recursos necessários para sua entrega, ou não entrega aquela correção do sistema que resultaria em uma entrega do teu projeto.


O GP que vos escreve aprendeu que na condução de um projeto sempre temos uma cesta de ovos nas mãos e de vez em quando quebramos alguns, o importante é voltar e limpá-la ao fim do projeto, ou seja, se você apontou o dedo pro seu colega em determinado momento, volte lá e explique o porquê disso, faça com que fique tudo bem e defina como será a relação do momento em diante.

4 - Lei da Publicação

Não importa quão pequena é a sua entrega, publique-a, dê visibilidade e claro agradeça a todos os envolvidos, dê crédito a quem for de direito, faça a informação chegar aos principais sponsors, porque, acredite, o discurso acerca da gestão de pessoas, engajamento, retenção de talentos é um discurso que quando é valorizado, só chega ao nível de coordenadores e gerência, diretoria quer saber de números e se eles desconhecem seus resultados, saiba que não procurarão saber.


Aldo Rocha

MSc. PMP


37 visualizações

+55(48)9.9165-1982

©2018 by Aldo Luciano da Rocha Pereira.